Impeachment da Dilma, com força ou com inteligência?

Tempo de leitura: 4 minutos

Amanhã vamos provar que somos fortes e somos capazes de tirar um presidente do poder. Na verdade, será a segunda vez que isso acontece. Certo?

Porém, não vamos provar que somos inteligentes, sendo capazes de resolver o problema maior, que é a corrupção, (a educação, a saúde, a segurança, etc, etc).
Amanhã, caso se consiga iniciar o processo de impeachment, da Sra Dilma, provavelmente não resolveremos nosso maior problema.

Lembre-se que o objetivo das manifestações de amanhã (15/03/2015), não deveria ser somente o de retirar a PresidENTE Dilma do poder. O objetivo não deve ser somente o de retirar o PT do poder.

Você acha que será mais fácil a Dilma lidar com o trauma de um Impeachment ou com a pressão do povo brasileiro, durante mais 3 anos e meio?
Não pense que o Impeachment, caso ele aconteça, resolverá o nosso problema, o problema das pessoas de bem, o problema do Brasil.

A nossa luta deve ser contra a corrupção, contra os corruptos, contra os políticos (e não políticos) que são, na sua maioria, além de corruptos, desonestos e mau caráter.

Caso o Impeachment ocorra, não se iluda. As coisas não vão melhorar de uma hora para outra. A Dilma é só uma gota no oceano da corrupção, no Brasil, infelizmente.

Sei que você já está cansado de ouvir e ler, que para exigir e cobrar honestidade dos políticos (e das pessoas), primeiro você precisa ser honesto, não roubando, não mentindo, não furando filas, não pedindo favorecimento, cumprindo o que promete, etc.
Não concordo com isso. Acho que todos devem cobrar de todos e pronto.

Agora, se você me perguntar se adianta cobrarmos honestidade dos políticos e nós, em casa, não praticarmos essa honestidade, eu te digo que não. Que desse jeito o Brasil nunca vai melhorar e você sempre vai reclamar.

Devemos cobrar e exigir respeito, mas temos que nos dar o respeito e dar o exemplo.
Repetindo o que você já sabe: Não faça pequenos furtos, não fure fila, não peça favorecimento para o seu parente, naquele emprego, não minta para as pessoas, não seja egoísta, não pratique pequenas corrupções, etc, etc.

Continue fazendo manifestações, reclamando, pedindo Impeachment (se for o caso), exigindo respeito! Mas faça a lição de casa, também.

Voltando a história do Impeachment, caso ele ocorra realmente, a Dilma sai do poder, some durante algum tempo, vive “tranquilamente” a vida dela (pois não depende de bolsa família), volta depois de um tempo, se candidata a um cargo menor, ganha e pronto. Entra no processo novamente. Esse é o lado dela…

E como ficará o nosso lado?

Pra começar, ainda não está totalmente claro, quem assumirá, no caso de um Impeachment. Será o Vice? Será o Presidente da Câmara? Haverá outra eleição? Sinceramente, já ouvi tanta coisa que não sei.

De qualquer forma, uma pessoa sai e outra entra. E o resto da corja? E a investigação Lava a Jato? E todos os envolvidos? E a crise na Petrobras? E os outros corruptos do PT? E o Lula? E os outros corruptos dos outros partidos? Quem vai encarar e resolver tudo isso?

É… Não é tão simples assim.

Por isso, acho que devemos exigir algo diferente de um Impeachment. Acho que devemos exigir (e quando falo exigir, é exigir mesmo), transparência, investigação e punição, pra TODOS os envolvidos com corrupção. Ah, se a PresidENTE também estiver envolvida? Punição pra ela, claro!

Então vai continuar tudo como está? Não, como eu disse no início, devemos usar, além da força do povo, a nossa inteligência, para EXIGIR mudanças. Seja com a Dilma, com o Lula, com o Tiririca, etc, etc.

O esforço e o desgaste que se tem, com um movimento de manifestação deste tipo, é grande. E por isso, não deveria ter apenas o objetivo de tirar “uma” pessoa, mesmo que seja a pessoa mais “poderosa” do país.

Na minha opinião, devemos ser mais inteligentes e EXIGIR, mudanças significativas no Brasil. Ah Eder, isso é complicado… Óbvio que é complicado, pois a situação está complicada (não gosto da palavra “complicado”, mas…). Por isso, repito, tirar a Dilma não resolve o problema do povo brasileiro.
Será uma mudança? Sim, claro. Talvez até seja o começo de uma mudança para melhor. Mas não é a solução completa.

Enquanto estamos focados na Dilma, o resto da corja está se organizando para “sair de fininho”.

Pense nisso!

Comentários no Facebook